SETCERGS - Transporte & Logística

Início / Notícias / Notícias / Regras Mais Rígidas Para Conter A Circulação De Pessoas Em Porto Alegre Entram Em Vigor Na Terça-feira (07)

6 de julho de 2020

Regras mais rígidas para conter a circulação de pessoas em Porto Alegre entram em vigor na terça-feira (07)

E-mail

A prefeitura de Porto Alegre publicou no começo da madrugada desta segunda-feira (6) o decreto que aumenta as restrições à circulação de pessoas na cidade. O objetivo é tentar reduzir o contágio pelo novo coronavírus. As regras mais rígidas incluem, por exemplo, o fechamento temporário de parques, a diminuição de vagas do estacionamento da Área Azul, novas limitações ao funcionamento do comércio e, inclusive, o bloqueio de cerca de 130 mil cartões de vale-transporte para funcionários de locais não considerados como atividades essenciais. O novo decreto vale a partir de terça-feira (07), com exceção do bloqueio do vale-transporte, que passa a valer a partir de quinta-feira (09). 

O novo decreto prevê que as mudanças durem por um período de 15 dias, para desestimular a circulação de pessoas. A Guarda Municipal está orientada a agir em casos de descumprimento e, se necessário, deverá aplicar multas. Leia a íntegra do decreto aqui.

Uma das principais razões para a retomada de ações mais duras por parte da prefeitura é o aumento no número de internações de pacientes com covid-19 nas UTIs da cidade. Na sexta-feira, a quantidade de doentes hospitalizados chegou a 175. Esse número chegou a 177 no sábado e, às 22h do domingo, estava novamente em 175. Veja, a seguir, um resumo das novas determinações para enfrentar o coronavírus na Capital. 

Confira as principais mudanças

Comércio e serviços - Somente estão autorizados a funcionar o comércio e os serviços considerados essenciais e os expressamente permitidos pelo art. 13 do decreto 20.625. Ficam fechados salões de beleza e barbearias, comércio e serviço de chips e aparelhos telefônicos e comércio de veículos.

Vale-transporte - Os cartões de vale-transporte dos funcionários das atividades suspensas pelo decreto serão bloqueados a partir do dia 9 de julho, e os ônibus não aceitarão pagamento em dinheiro entre as 6h e 10h.

Parques e praças - Está vedado o acesso ao público do parques Moacyr Scliar, Chico Mendes, Germânia, Gabriel Knijnik e Maurício Sirotsky Sobrinho (Harmonia). O comércio de ambulantes em parques e praças também fica proibido.

Mercado Público e Mercado Bom Fim - Determinado o fechamento, sendo permitido apenas o sistema de delivery (tele-entrega); fica permitido para os estabelecimentos do ramo de alimentação com acesso externo o funcionamento também pelo sistema pague e leve (take away). Fica permitido o funcionamento das lotéricas com acesso externo e um cliente para cada atendente.

Super e hipermercados - Controle de acesso na entrada, lotação máxima de 50% do estabelecimento e do estacionamento, além de recomendação para que apenas uma pessoa por família acesse o estabelecimento.

Ferragens e comércio de materiais de construção - Podem abrir com equipes reduzidas e com restrição do número de clientes, na proporção de um cliente para cada atendente, sendo vedada a formação de filas, internas e externas, e a aglomeração de pessoas. 

Academias - Proibido funcionamento, inclusive em shopping, condomínios e clubes sociais, salvo apenas para treinamento físico de atletas profissionais contratados.

Estacionamentos públicos - Estão fechados desde o último sábado os bolsões e estacionamentos públicos. Quem furar os bloqueios será multado R$ 195,23 e terá cinco pontos acrescidos na Carteira Nacional de Habilitação.

Área Azul - Quem estacionar entre as 7h e as 19h em uma das 5 mil vagas da Área Azul será multado em R$ 195,23, terá cinco pontos na CNH e remoção do veículo. As vagas em torno de hospitais continuarão em operação.

No RS, todas as regiões estão nas bandeiras vermelha ou laranja

O mapa definitivo do distanciamento social controlado será divulgado nesta tarde pelo governador Eduardo Leite. No mapa preliminar, anunciado na última sexta-feira (03), todas as regiões ficaram na bandeira vermelha (risco alto) ou na bandeira laranja (risco médio). Dez das vinte regiões sanitárias do RS foram classificadas com a cor vermelha, o que significa que cerca de 70% da população gaúcha está em áreas de alto risco de contaminação. O mapa não tem bandeiras pretas (risco altíssimo) nem amarelas (risco leve). 

Como o governo gaúcho permite que as prefeituras peçam revisão do mapa preliminar, 37 municípios pediram a reconsideração de indicadores de bandeiras. Dos 307 municípios com risco alto para a doença, 117 podem adotar protocolos previstos na bandeira laranja, por meio de regulamento próprio. Isso porque não tiveram registro de hospitalização ou óbito por Covid-19 nos 14 dias anteriores ao levantamento.

Piora nas regiões

Na classificação preliminar, seis regiões tiveram piora. Taquara passou direto da bandeira amarela para a vermelha. Caxias do Sul, Erechim, Palmeira das Missões e Pelotas, que estavam com bandeira laranja, migraram para a vermelha. Já Bagé mudou da amarela para a laranja.


As regiões de Porto Alegre, Capão da Canoa, Novo Hamburgo e Canoas seguem na bandeira vermelha por terem sido classificadas em vermelho pelo menos duas vezes no período de 21 dias, mesmo que apresentassem melhora nos dados. Passo Fundo também permanece com a vermelha.

A única região que apresentou redução de risco foi Santo Ângelo, passando da vermelha para a laranja. 

FONTE: Prefeitura de Poa, Governo RS e GAUCHAZH

Autoria: Imprensa

 

Voltar Topo Imprimir