SETCERGS - Transporte & Logística

Início / Notícias / Notícias / Decope Revela 38% De Queda No Volume De Cargas No Transporte Rodoviário

8 de abril de 2020

DECOPE revela 38% de queda no volume de cargas no transporte rodoviário

E-mail

O volume de cargas que deixaram de percorrer as estradas brasileiras é de 38,69%, ou seja, 11,79% a mais que na semana passada. A queda na carga fracionada chegou a 40,16%, e a lotação 39,24%. Estes e outros números alarmantes para o setor foram divulgados pelo Departamento de Custos Operacionais da NTC&Logística (DECOPE), que tem acompanhado empresas transportadoras do país diariamente.

O presidente da NTC&Logística, Francisco Pelucio, afirmou que, em 78 anos de vida, nunca enfrentou uma crise como a que o mundo atravessa com a pandemia do coronavírus. “ É uma situação difícil, porque precisamos nos isolar para viver e, ao mesmo tempo, ter recursos para sobreviver”.

Ele comentou também que todos os esforços estão sendo feitos para poder diminuir os impactos no setor. “Sabemos que é difícil não sermos atingidos por essa crise, mas temos que continuar, dentro das possibilidades, abastecendo o país. A NTC vem trabalhando em conjunto com todas as entidades parceiras para cobrar do governo medidas que ajudem o transporte de cargas neste momento, uma vez que o Brasil depende do nosso trabalho, e sempre o fizemos, independente das circunstâncias”.

Diante das medidas de restrição que impactam o consumo geral da população com o fechamento de serviços, o transporte de cargas está sofrendo as consequências. O DECOPE continuará a fazer o monitoramento até o fim da crise, em empresas de diversos tamanhos e segmentos, em todas as regiões.

Resultados anteriores


Nos primeiros dias do acompanhamento, a pesquisa já apresentava uma queda geral de 26,14%, mostrando que para cargas fracionadas, aquelas que contêm pequenos volumes, a queda chegou a 29,81%, número que corresponde a entregas para pessoas físicas, distribuidores, lojas de rua e de shoppings, além de supermercados, dentre outros estabelecimentos. 

Já para cargas lotação, que ocupam toda a capacidade dos veículos, a pesquisa apontava queda de 22,91%, demonstrando desaceleração do agronegócio, do comércio geral e de grande parte da indústria.

Os números foram aumentando ao passar dos dias, e nos primeiros sete dias do levantamento não houve retração da demanda geral. Segundo os dados divulgados no último dia 31 março, o departamento apontou na variação da demanda geral uma queda de 26,90%, chegando a quase 1% a mais em relação à última comparação.

Confira o resultado da pesquisa

Confira o resultado anterior

Participe da pesquisa

Autoria: Imprensa

 

Voltar Topo Imprimir